A companhia de desenvolvimento de Maricá – CODEMAR, juntamente com a Secretaria de Educação, realizaram a abertura do primeiro Torneio Intercolegial de Games e a escola escolhida para esse pontapé inicial foi a Municipal do bairro de Inoã, a Escola Professor Darcy Ribeiro.

A Codemar participou da solenidade de abertura do Torneio Intercolegial de Games de Maricá – TI GAMES, que aconteceu na última quinta-feira de junho, 13. Os alunos da escola Municipal Darcy Ribeiro, local escolhido para a abertura do torneio, interagiram com os jogos de Fifa e Just Dance.

Além das atividades voltadas para os alunos, o início da cerimônia deu-se com a composição da mesa formada pelo Secretário de Ciência e Tecnologia, Sérgio Mesquita; o Superintendente do Parque Tecnológico, Tiago de Paula; a Diretora da Escola Darcy Ribeiro, Katia Cruz; o Diretor da For Games, Victor Prado; o Subsecretário da Secretaria de Educação, Professor Rodrigo Moura e o Presidente da Codemar, José Orlando dias. Durante a abertura falaram sobre a importância de iniciativas na educação e o impacto que a gameficação traz à escola.

José Orlando Dias discursou aos alunos acerca da importância de investir na educação por caminhos inovadores como, no caso, os games: “a Codemar é a responsável pela construção do futuro de quem estuda no município de Maricá. A Companhia desenvolve grandes projetos de desenvolvimento econômico e social do Município. Ela prepara o ambiente para o futuro dos jovens. Dentro dos projetos da Codemar tem um importante, que é a criação do Parque Tecnológico, um grande ambiente onde todos respiram tecnologia, um espaço onde vocês poderão viver tudo aquilo que a tecnologia proporciona. O torneio de games é a primeira ação para conectar o mundo estudantil a esse projeto do Parque Tecnológico. Temos a ambição que saiam daqui os primeiros clusters de games que irão somar ao projeto do parque tecnológico”, concluiu.

O diretor do For Games, Victor Prado, classificou a abertura do evento como um dia histórico: “o dia de hoje é um marco inovador. Pela primeira vez, uma cidade abre as portas para os games, incentivando-os e os legitimando nas escolas, na cidade inteira, como um todo. Isso é um grande passo para a educação brasileira. É utilizar os jogos de maneira consciente. O Brasil consome muito game, entretanto não produz no mesmo patamar de consumo porque não possui game crítico consciente. Durante todo esse torneio teremos também palestras para pais e professores para conscientização desse universo, toda uma frente econômica que o torneio proporciona e ao mesmo tempo em paralelo. Colaboração, gameficação como metodologia de ensino”, avaliou.

Para a Diretora da escola anfitriã, o torneio é um ganho pedagógico incrível para a escola: “me sinto muito feliz em receber esse evento de solenidade de certificação dos professores que fizeram um curso de qualificação para se habilitarem e poderem trabalhar nessa proposta nova e inovadora da gameficação. Sediar esse evento aqui também é importante para os meus alunos, que vão poder ver em primeira mão, sentir a importância dessa estratégia que particularmente eles gostam. É uma quebra de paradigma porque vivemos um tempo onde os jogos são vandalizados, então você trazer para a escola como conteúdo escolar e prática tecnológica é fantástico”, explicou.

O torneio terá mais de quinhentas atividades. Durante os sete meses de jogos intercolegiais, cada escola receberá de oito a nove oficinas de jogos, entre elas, campeonatos de videogames, boardgame jams, oficinas de gamedesign, encontros com youtubers e desafios de pais e mestres.

Por Roberval Silva