Guaranis estão reunidos em Maricá para troca de conhecimentos sobre saúde e transmissão da cultura para as novas gerações

Trabalho é acompanhado por pesquisadores de projeto da Biotec que, em conjunto com os indígenas, busca avanços no uso de fitoterápicos

Pajés e outros representantes dos guaranis do estado do Rio de Janeiro estão reunidos em Maricá, na Aldeia Mata Verde e Bonita, para dias de trocas de conhecimento e realização do VI Seminário Internacional América Indígena. Com foco em saúde, o encontro tem como missão transmitir os conhecimentos milenares sobre plantas medicinais para as novas gerações do povo indígena.

Cacica Jurema recepciona pajés e outros indígenas de aldeias irmãs. Foto: Leonardo Fonseca

O trabalho é acompanhado pela Biotec Maricá que, através da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), apoia o evento, assim como a prefeitura municipal. A organização do evento é da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Secretaria Estadual de Saúde.

Encontro de indígenas guaranis em Maricá discute tradição e saúde. Foto: Leonardo Fonseca

Herança

Para a cacica Jurema Nunes, anfitriã que está recebendo os pajés anciãos (um deles, Agostinho Silva, da Aldeia Araponga, em Paraty, tem 106 anos), o evento é importantíssimo para a manutenção da cultura guarani.

“A gente vai conversar com os jovens para passar para eles o que é a nossa cultura, como deve ser a vivência na aldeia. Vamos passar conhecimentos dos pajés. Na nossa casa de reza vamos fazer nossos cantos e danças” afirmou Jurema, à frente da Mata Verde e Bonita.

Evolução tecnológica

Computadores, carros e celulares são coisas de indígenas, bem como de todos os seres humanos. E eles lançam mão da tecnologia para manter a cultura, seja cumprindo aspectos burocráticos com o governo, seja na comunicação entre eles.

Cacique Algemiro Silva, da aldeia Sapukaia, em Angra dos Reis, visita a aldeia maricaense. Foto: Leonardo Fonseca

“Mas tem que cuidar para usar tudo e manter a cultura. Esse encontro é bom para levar aos jovens o nosso conhecimento e explicar que não é ser contra a modernidade, mas buscar manter as nossas tradições. A gente sempre será guarani”, avaliou o cacique Algemiro Silva, da Aldeia Sapukaia, em Angra dos Reis.

Intercâmbio

O evento está sendo acompanhado pela Biotec Maricá, através do projeto Farmacopeia Mari’ká. Pesquisadores estão trabalhando com os indígenas na identificação de plantas medicinais e seus usos numa troca de conhecimentos tradicionais e científicos. Nos povos indígenas, este conhecimento é guardado pelos pajés.

O pajé Cajanã Araguari, da aldeia Mata Verde e Bonita, em São José do Imbassaí. Foto: Leonardo Fonseca

“Esse encontro é uma tentativa desse povo de passar o conhecimento dos anciãos para os jovens e para fortalecer a cultura deles. Estamos acompanhando com todos os cuidados, respeitando a legislação 13.123 de 2015, que exige uma série de protocolos para acessar esse conhecimento. É uma cooperação entre conhecimentos postos no mesmo patamar e que pode beneficiar todos em conjunto, respeitando o crédito do que é tradicional e com um potencial de inovação muito grande”, avaliou Izabel Missagia, professora da UFRRJ, antropóloga e uma das coordenadoras do Farmacopeia.

Programação

08/11
Parte da manhã: Roda de Conversa sobre juventude, território e saúde. Na Aldeia Mata Verde e Bonita, em São José de Imbassaí
18h a 0h: pajelança na Casa de Reza (restrições de público)

09/11
VI Seminário Internacional América Indígena
Local: Espaço IDR (Instituto Darcy Ribeiro), na Rua Prefeito Ivan Mundin, Lt 12, Qd 05, esquina com a Rua Caibar de Souza Shutel. Bairro Boqueirão, Maricá

8h30 – Acolhimento
9h – Abertura com os caciques das aldeias Mata Verde Bonita e Céu Azul, representantes da UFRRJ, UERJ, CEDIND, secretarias municipais de Direitos Humanos e Saúde de Maricá, Instituto Darcy Ribeiro e Biotec/Codemar
9h30 – Apresentação do Coral Guarani
10h30 – Mesa 1: “Experiência em Saúde e Sustentabilidade nos Territórios”, por Luiz Henrique Chad Pellon (UNIRIO), representantes da Secretaria de Saúde Maricá e Fábio Henrique Arevalo (PUC-SP)
12h – Apresentação de painéis sobre os trabalhos nas escolas indígenas de Maricá
14h – Mesa 2: “Conhecimentos Tradicionais e Saúde”, por Graciela Pagliaro (SES-RJ/ Rede Raízes), Paulo Basta (ENSP) e Amarildo Nunes (Aldeia Mata Verde Bonita)
16h30 – Conferência: “Condições sociais causadas pelas mudanças climáticas em mulheres e adolescentes de povos indígenas das terras baixas da Bolívia”, por Miguel Angel Canaza (UMSA – Bolívia)

Programas

Notícias

Fazenda Joaquin Piñero vira ponto turístico agroecológico

Pomar do projeto Inova recebe visitantes O pomar agroecológico do projeto Inova recebeu na manhã deste sábado (24) dezenas de visitantes que foram ao local...

Visita guiada na Fazenda Pública terá transporte com Vermelhinhos

Evento agroecológico será realizado pelo Inova Agroecologia neste sábado (24) Com o intuito de facilitar o acesso à Fazenda Pública Joaquín Piñero, no Espraiado, neste...

Domingo tem competição de pesca amadora com barco em Maricá

Cerca de 300 pescadores se inscreveram e vão disputar o troféu do Caiaque Fishing em Itaipuaçu O final de semana está chegando e quem estiver...